Estrela do Glory, Jhonata Diniz encara o paraguaio Carlos Meza – Divulgação WGP

Jhonata Diniz volta ao Brasil para encarar promessa paraguaia em luta bônus no WGP Curitiba

Depois de anunciar a chegada do WGP Kickboxing a Curitiba pela primeira vez, a organização do evento preparou uma nova surpresa aos fãs de trocação da capital paranaense. No evento de número 38, que acontece no próximo dia 1º de julho, no Círculo Militar, o card terá uma novidade em relação as outras edições. Pela primeira vez o WGP realizará lutas bônus após a luta principal da noite e um desses duelos será entre o atleta da casa Jhonata Diniz e o paraguaio Carlos Meza, pela divisão dos super-pesados (+94,1kg). Esta será a estreia de Jhonata na organização, que já integra o plantel de lutadores do Glory, principal evento de kickboxing do mundo.

Com carreira internacional consolidada, Jhonata festeja duelo em casa

A caminhada do curitibano Jhonata Diniz no kickboxing é um pouco diferente da maioria dos lutadores. Nascido e criado na capital paranaense, ele iniciou a pratica nas artes marciais aos 13 por uma briga de rua com outro adolescente na qual levou a pior. Mas o que fugia do normal era que o jovem não se interessava pelo esporte e sequer conhecia o kickboxing. Mesmo depois de fazer sua primeira luta no amador, a chama de competidor ainda não havia acendido em Jhonata, mas tudo mudou em 2012, aos 20 anos.

“Durante minha caminhada no amador eu nunca tinha tido um divisor de aguas na carreira, levava como hobby mesmo. E mesmo depois de fazer algumas lutas profissionais isso não tinha acontecido. Até que veio a oportunidade de lutar fora do país, no Glory. Quando eu cheguei lá percebi a proporção que as coisas tinham tomado e vi que faria aquilo para o resto da minha vida”, garante Jhonata.

Até tomar essa decisão, Diniz passou por dificuldades para se manter lutando. Trabalhou como pedreiro, auxiliar de almoxarifado e até vendedor de cachorro quente. Mas com a consolidação da carreira internacional – ele é atleta do Glory há cinco anos –  conseguiu se estabilizar e viver só da luta. Hoje, aos 25 anos, ele tem uma oportunidade única ao fazer sua estreia no WGP e lutar em casa diante dos amigos, familiares e alunos depois de tanto tempo.

“Eu luto onde me sinto bem e o WGP certamente vai me proporcionar essa sensação, é o maior evento da América Latina e sou muito grato por me darem essa oportunidade de lutar na minha casa. Alunos meus que nunca viram uma luta minha vão estar presentes, toda minha família, não vejo a hora de subir no ringue”, afirma o lutador, que soma um total de 20 lutas disputadas, com 14 vitórias, sendo 10 delas por nocaute.

Ex-postulante ao título dos pesados, paraguaio promete surpreender na categoria de cima

Adversário de Jhonata, o paraguaio Carlos Meza é uma das promessas do kickboxing de seu país. Depois de iniciar nas artes marciais no taekwondo aos sete anos, Meza conheceu o kickboxing aos 14 e não parou mais. Hoje, aos 21, e com um cartel de 17 vitórias em 21 lutas, ele chega para seu segundo duelo no WGP. E o primeiro não foi qualquer um. Ele encarou o atual campeão dos pesados Felipe Micheletti, na luta principal da edição 31.

“Retorno ao WGP muito feliz e, acima de tudo, com outra mentalidade. A luta com o Micheletti me ajudou a perceber as coisas que estavam me fazendo falta na hora da luta. A preparação, como sempre foi forte e intensa. Lutar no WGP é o sonho de todo atleta que compete no kickboxing sul-americano, para mim é uma honra defender o meu país em um evento desta magnitude e que vem junto de uma grande responsabilidade”, afirma Meza.

Diante de Jhonata, Carlos vai encarar uma situação semelhante ao seu último duelo no Brasil: lutar na casa do adversário. Mas desta vez a torcida contra vai ser ainda mais forte, já que seu adversário vai atuar na sua cidade-natal. Segundo Meza, isso requer ainda mais atenção, mas ele não poupou elogios a torcida brasileira.

“Eu acho que a concentração é um fator muito importante quando se está na condição de visitante. O público brasileiro é incrível, e vou procurar desfrutar da luta. Atuar no Brasil é uma motivação para qualquer um, independente se estão torcendo contra mim”, garante o lutador, que atuará na categoria dos super-pesados, acima da que enfrentou Micheletti. “Como sabemos o processo de corte de peso tem uma influência muito grande no desempenho, um kg a mais faz a diferença. Sinto-me bem por estar livre desse corte e como luto nessa categoria no meu país me sinto bem confortável”, finaliza.

O WGP Curitiba conta ainda com outra luta bônus entre o conterrâneo de Jhonata, Ariel Machado encarando o argentino Lucas Alsina pela divisão dos pesados (até 94kg). Além disso o evento terá a luta principal da noite valendo o cinturão dos super-leves (até 64,5kg) entre Paulo Tebar e Guilherme Sanchos. A categoria conhece também o próximo desafiante com a disputa do Challenger GP com as semifinais entre Inglesson de Lara vs Vinicius Bereta e Jordan Kranio vs Samuel Pereira.

Confira o card do WGP Curitiba

CARD PRINCIPAL

Bonus Fight 1

Peso Pesado (94,1 kg) – Ariel Machado (Hemmers Gym / CWB Fight Club – BRA) vs Lucas Alsina (Picante Fight Club – ARG)

Bonus Fight 2

Peso Super-Pesado (+94,1 kg) – Jhonata Diniz (Santa Fé Team – BRA) vs Carlos ‘Cliford’ Meza (Team Fight Center / Team Pain – PAR)

Main Event: WGP Super Lightweight Title Bout

Peso Super-Leve (64,5 kg) – Guilherme ‘Ceará’ Sanchos (Ceará Team) vs Paulo Tebar (Veras TK / CT Viscardi Andrade)

Challenger GP: Final

Peso Super-Leve (64,5 kg) – Vencedor da Semifinal 1 vs Vencedor da Semifinal 2

International Super Fight

Peso Casado (73 kg) – Rafael Teixeira (Teixeira Team / ARENA – BRA) vs Sebastian ‘Tata’ Martino (Don Team -ARG)

Super Fight

Peso Meio-Médio (71,8 kg) – Max Koubik (Yamauchi Team) vs Anderson ‘Buzika’ (Inside Munil Adriano)

WGP Super Fights

Challenger GP: Semifinal 2

Peso Super-Leve (64,5 kg) – Samuel Pereira (Ponto 1 Fight) vs Jordan Kranio (Teixeira Team/ARENA)

Challenger GP: Semifinal 1

Peso Super-Leve (64,5 kg) – Vinicius Bereta (União ABC) vs Inglesson de Lara (Free Spirit)

Super Fight

Peso Super-Leve (64,5 kg) – Petros ‘Cabelinho’ Freitas (World Strong Fight Team) vs Sebastian ‘Seba’ Juarez (Team Sud Atlantico – ARG)

Super Fight

Peso Leve (60 kg) – Fabricio Zacarias (Immortal Fight Team) vs Daniel ‘Choque’ (União ABC – CHI)

CARD PRELIMINAR

Fight 

Peso Meio-Médio (71,8 kg) – Italo ‘Sabotagem’ vs Marcos Carvalho

Peso Super-Leve (64,5 kg)  – Wagner Nega vs Hugo ‘Caveira’ Marques

Peso Super-Médio (78,1 kg) – Mateus Nogueira vs Lucas Paredes

Peso Meio-Médio (71,8 kg) – Gilson ‘Koringa’ vs Manoel Fonseca

Peso Leve (60 kg) – Paulo Santiago vs Fernando ‘Pato’

Peso Super-Leve (64,5 kg) – Gabriel de Lima vs Daniel Direto

Categorias
Kickboxing

Relacionados